Meu primeiro Festival

By Rissellie zani - 20.9.17


O primeiro festival de música que eu fui na vida foi o Lollapalooza, em 2014, a primeira edição no autódromo de Interlagos (bem pertinho da minha casa). No auge dos meus quase 19 anos, com um grupo de amigos que compraram em cima da hora seus ingressos e com um dos meus melhores looks. Sim, look, além de música você também presencia um show de estilo e originalidade! Lembro de acordar bem cedinho naquele sábado de sol, começar a arrumar o meu cabelo sentada no chão com o espelho na minha frente e minha irmã ainda dormindo no quarto. Já tinha traçado a minha rota para o dia ( Imagine Drangons, Lord e Muse eram meu foco), calcei meu keds e dei tchau pra minha mãe, ela  me respondeu "bom show filha" - mamis (<3) mal sabia que eu presenciaria um dos melhores shows da minha vida!





Uma coisa que vocês devem saber é: nem tudo é um paraíso por lá. É muito calor, gente, fila e banheiros químicos com muito vômito. Mas não é de todo mal, sabe por quê? A energia que o lugar transmite faz com que cada momento seja único.  Mesmo assim, pra quem vai ano que  vem, vá bem preparado, pois assim como o lugar passa essa energia positiva, você também vai deixar muito por lá. Se alimente bem e tome muita água (gastei mais de 100,00 reais em água naquele dia), e por favor não fique parado na grade o dia inteiro só porque o seu artista preferido vai tocar, o legal de um festival é se misturar e criar novas experiências, muito difícil vivenciar o feeling do festival grudada(o) na grade. Mas quem sou eu pra ditar regras, não é?



Lembra que eu falei sobre a Lorde ser uma das minhas metas? Pois bem, não consegui chegar a tempo para assistir, o palco do Imagine Dragons era do outro lado do autódromo e quando a apresentação acabou todo mundo foi para a mesma direção, se no ano que vem você não conseguir ver alguém que estava na sua agenda tente dar a volta por cima. Ficar triste lá não compensa pois o último show vai deixar suas emoções em êxtase! Muse conseguiu superar minhas expectativas, mesmo sem Feeling Good, a garganta do Mattheu estava ruim para alcançar aquelas notas divinas (mas o piano estava lá minha gente, dando aquela presença de palco estonteante).

Por isso um festival de música é tão especial, tantos anos depois e eu ainda lembro certas coisas que me deixaram emocionada e chocada - o preço de hotdog pode ir nas alturas quando a demanda é alta-  se me permitem: tentem ir no Lolla ano que vem, prometo que vocês não vão se arrepender.



  • Share:

You Might Also Like

0 comentários